Arthur Christmas (2011)

poster

Sinopse

“Arthur Christmas” finalmente revela a incrível e nunca antes ouvida resposta à pergunta que todas as crianças fazem: “Como é que o Pai Natal consegue entregar todos os presentes numa só noite?”. A resposta: o Pai Natal gere uma operação ultra secreta escondida no Pólo Norte.

Quando esta surpreendente operação se esquece do presente de uma das centenas de milhões de crianças, o menos apto da família do Pai Natal - o filho mais novo do Pai Natal, Arthur - embarca numa hilariante e incrível missão contra o relógio para conseguir entregar o último presente antes da manhã de Natal.



Visitantes
Visitantes
3.2 (15 votos)
O meu voto
Login / Registo
Crítica
Crítica
3.0 (1 voto)

Detalhes

Ano: 2011
Estreia nacional: 24 de Novembro de 2011 (#3 na 1ª semana)
Estreia mundial: 11 de Novembro de 2011

País: Reino Unido, EUA
Género: Animação, Comédia
Classificação: M/6
Distribuidora: Columbia TriStar Warner

Realização:
Sarah Smith

Intérpretes:
James McAvoy, Jim Broadbent, Bill Nighy, Imelda Staunton, Hugh Laurie

Outros títulos:
Operação Presente (Brasil)

Links:
www.arthurchristmas.com (site oficial)
www.facebook.com/ArthurChristmasMovie
www.imdb.com/title/tt1430607

Blogs

Comentários RSS

ver todos Faça login para deixar um comentário.

3.5/5MIGUEL MIGUEL 30 de Dezembro de 2011 às 16:48

Arthur Christmas é um filme divertido e despreocupado, e consegue, rapidamente, transmitir mensagens às crianças de harmonia e amizade e, sem dúvida, que são aspetos fascinantes que, normalmente, são os filmes de animação que dominam.
O único problema presente é que o filme não pode agradar a gregos e a troianos. Desta forma, ou decide ser um filme mais infantil e mais inocente, ou opta por resultar numa fita mais madura, com momentos altamente geniais e, assim, aproveitar a exclente permissa que tem nas mãos.
Óbvio que como o que interessa são os resultados económicos, opta-se pela via mais fácil que é fazer um filme simples, com mensagens simpáticas para poder mostrar que é altamente educativo e, assim, além das crianças se divertirem, ainda contribui significativamente para melhorar a ética destas.
Assim, não aproveita as excelentes capacidades que tem para ser um filme como, por exemplo, os da Pixar. Onde poderia fazer um filme de Natal para toda a família mas que de facto divertisse e emocionasse MESMO toda a família. Que transmitisse a magia necessária (que neste momento só a Pixar sabe dar) e todo o espiríto natalício pois as crianças desta geração já começam a perdê-lo.
Mesmo assim é, sem dúvida, um filme interessante mas que, na minha opinião, deviam vê-lo apenas na época de Natal pois é esta época do ano que o torna mais mágico (ainda que seja uma pequena quantidade de magia), e que desta forma o favorece.